Início   >  Digestão e Conforto oro-gastrointestinal  >  Sistema imunitário – uma...
21-09-2017

Sistema imunitário – uma nova descoberta sobre a flora intestinal

Sistema imunitário flora intestinal Garantindo a defesa do organismo face a inúmeros germes patogénicos, o sistema imunitário é complexo. Para distinguir o “eu” do não “eu”, é preciso envolver inúmeras células, sendo as mais conhecidas os glóbulos brancos, também chamados leucócitos. Entre as células imunitárias, os investigadores descobriram leucócitos muito específicos ao nível do intestino: os linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+. De acordo com um estudo publicado em 2017 na revista Science1, a acção destas células imunitárias estaria extremamente dependente da flora intestinal, e mais exactamente de uma estirpe de probióticos presente ao nível do intestino: Lactobacillus reuteri. Façamos o ponto de situação para compreender melhor esta descoberta e a ligação entre o sistema imunitário e a flora intestinal.

Uma nova classe de células imunitárias no intestino

Há várias dezenas de anos que o sistema imunitário intestinal é objecto de inúmeros estudos científicos. Estes conduziram a várias descobertas importantes como a identificação e a compreensão do papel da flora intestinal, um conjunto de microrganismos que coabitam ao nível do intestino. Reconhece-se actualmente que o equilíbrio do microbiota intestinal desempenha um papel crucial no sistema imunitário intestinal, como lembra o nosso artigo: “Uma bomba nos seus intestinos”. Nos últimos anos, uma outra descoberta sobre o sistema imunitário intestinal passou praticamente despercebida. Os investigadores identificaram uma nova classe de células imunitárias: os linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8áá+.

Um papel crucial no processo de tolerância

Situados ao nível do epitélio do intestino delgado, os linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+ estariam envolvidos no processo de tolerância, uma mecanismo muito estudado em imunologia. E com razão, dado que é este processo que permite tolerar as células do “eu”, ou seja, evitar destruir as células sãs do organismo. Contudo, esta tolerância aplica-se também a agentes patogénicos. Para evitar este fenómeno, vários investigadores interessaram-se pelo papel desempenhado pelos linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+ no processo de tolerância. 2

A importância da flora bacteriana intestinal

Ao interessarem-se pela acção dos linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+, os investigadores constataram que estas células derivariam de uma diferenciação de linfócitos T CD4+. No entanto, este processo produzir-se-ia unicamente na presença de determinadas bactérias. Com efeito, alguns investigadores observaram a ausência de linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+ em ratinhos que não possuíam qualquer germe bacteriano no intestino. Ao aprofundar este resultado, uma equipa de investigação americana notou que o processo de diferenciação apenas se produz na presença de uma estirpe de probióticos específica: Lactobacillus reuteri. Conhecida pelos seus benefícios a nível digestivo e cardiovascular, esta estirpe bacteriana permitiria activar de forma indirecta a diferenciação dos linfócitos T CD4+ em linfócitos intra-epiteliais CD4+CD8αα+. Segundo os investigadores, os lactobacilos Lactobacillus reuteri induziriam a produção de substâncias derivadas a partir de triptofano alimentar. Seriam depois estes derivados específicos que activariam receptores ao nível dos linfócitos T CD4+ intestinais. Por um fenómeno de regulação negativo, tal teria como consequência uma diferenciação destas células imunitárias em linfócitos CD4+CD8αα+.

Estas novas descobertas vêm confirmar o papel e a importância da estirpe de probióticos Lactobacillus reuteri no sistema imunitário intestinal. Esta estirpe de probióticos estaria envolvida no processo de tolerância, activando de forma indirecta a diferenciação dos linfócitos T CD4+ em linfócitos CD4+CD8αα+. Segundo os investigadores, esta diferenciação necessitaria da presença de triptofano – um aminoácido conhecido por ser o precursor de várias moléculas no organismo. Por conseguinte, um aporte adequado em Lactobacillus reuteri e em triptofano poderia ter bastante interesse para reforçar o sistema imunitário intestinal.



> Fontes:
1. L. Cervantes-Barragan et al., Lactobacillus reuteri induces gut intraepithelial CD4+CD8αα+ T cells, Science, 25 Agosto 2017, Volume 357, N.°6353, Páginas 806-810.
2. G. Malamut, et al., Lymphocytes intra-épithéliaux : impact en gastroentérologie, John Libbey Eurotext, Mai 2012, Volume 19, N.°5.
Encomendar os nutrientes evocados neste artigo
Lactobacillus reuteri

Um probiótico de nova geração ao serviço da saúde cardiovascular

www.supersmart.com
L-Tryptophan 500 mg

Um aminoácido essencial, precursor da serotonina, da melatonina e da niacina

www.supersmart.com
Siga-nos
Seleccione o idioma à sua escolha
ptfrendeesitnl

Gratuito

Obrigado pela sua visita; antes de partir

INSCREVA-SE NO
Club SuperSmart
E beneficie
de vantagens exclusivas:
  • Gratuito: a publicação científica semanal "Nutranews"
  • Promoções exclusivas para membros do clube
> Continuar