Início   >  Inflamação  >  Reduzir a inflamação para...
31-10-2018

Reduzir a inflamação para reduzir o risco de doenças

Inflammation A inflamação é um fenómeno natural útil quando não se instala de forma duradoura. Mas propicia igualmente vários processos patológicos. Estudos recentes evidenciaram uma interacção entre as enzimas pró-inflamatórias lipoxigenases (LOX), em particular a LOX-5, e doenças como cancros, doenças do coração ou asma. As enzimas ciclo-oxigenases estão também fortemente implicadas num determinado número de doenças. A utilização de inibidores naturais destas enzimas, como extractos de biocurcuma ou de Boswellia, pode ajudar a reduzir o risco de desenvolvimento destas patologias.

Ao longo dos últimos dez anos, foi descoberta uma enzima chave produzida pelo organismo em resposta a provocações inflamatórias; a ciclo-oxigenase-2, mais conhecida como COX-2. Foi identificada como sendo um elo de ligação importante na cascata inflamatória. Investigações realizadas revelaram que algumas células convertem os fosfolípidos das membranas celulares em ácido araquidónico, utilizado como substrato para potenciar duas potentes classes de mediadores da inflamação potencialmente perigosos, conhecidos pelo nome de eicosanóides: as prostaglandinas e os leucotrienos.
Os eicosanóides são sintetizados a partir do ácido araquidónico por acção de duas enzimas que constituem o ponto crucial da dupla via inflamatória: a ciclo-oxigenase (COX) e a lipo-oxigenase (LOX-5):

COX-2 e COX-1

As proteínas COX existem em duas formas: COX-1 e COX-2. A COX-1 intervém em inúmeros processos fisiológicos, como a formação de prostaglandinas que protege os tecidos internos do estômago e a função renal. É também responsável pela produção de tromboxano A2 que propicia uma coagulação sanguínea anómala nas artérias (trombose), que pode causar enfartes ou acidentes vasculares cerebrais. A COX-2 está directamente implicada na propagação das células cancerosas e na inflamação crónica.

A LOX-5 gera moléculas inflamatórias

A LOX-5 gera leucotrienos inflamatórios conhecidos por serem potentes mediadores que desempenham um papel importante nas reacções alérgicas. Podem também intervir na isquémia e na aterosclerose. O acidente vascular cerebral, as lesões cerebrais traumáticas e a doença de Alzheimer foram também associados à actividade da LOX-5 e dos leucotrienos.
Alguns estudos indicam que bloquear apenas a COX-2 ignorando os efeitos da LOX-5 poderia ser contra-produtivo. Na verdade, a utilização de inibidores da COX-2 para bloquear a actividade desta última poderia provocar um aumento dos níveis da LOX-5, piorando a inflamação em vez de a melhorar. Este retrocesso na inflamação é provocado direccionando o ácido araquidónico para a síntese de perigosos leucotrienos pela via da LOX-5.

A LOX-5 implicada no desenvolvimento do cancro da próstata

Alguns estudos indicam que a LOX-5 estimula directamente a proliferação de células de cancro da próstata através de vários mecanismos bem definidos. Além disso, o ácido araquidónico é metabolizado pela LOX-5 em 5-HETE, um potente factor de sobrevida que as células de cancro da próstata utilizam para escapar.
Amostras de células de cancro da próstata recolhidas em homens com a doença evidenciam uma concentração importante da enzima LOX-51. Outros trabalhos de investigação indicam que agentes que inibem a enzima LOX-5 destroem as células cancerosas humanas da próstata, sugerindo que inibidores da actividade desta enzima, tais como o óleo de peixe, o licopeno, a palmeira anã e o extracto 5-LOXIN® de Boswellia, poderiam ter aplicações na prevenção ou no fim do crescimento de cancros da próstata2.

5-LOXIN®

5-Loxin® é um extracto patenteado de Boswellia serrata normalizado, que fornece 30% de ácido acetil-11-queto-beta-boswelico (AKBA). Investigações recentes identificaram o AKBA como sendo o mais potente de todos os ácidos boswelicos. 5-LOXIN® liga-se directamente à LOX-5 e inibe a sua actividade. Num estudo animal que comparou a eficácia de 5-LOXIN® à do ibuprofeno, um medicamento anti-inflamatório, 5-LOXIN® produzia uma redução de 27% na inflamação, por oposição a uma diminuição de 37% gerada pelo medicamento3. Um outro estudo comparou 5-LOXIN® à prednisona, um medicamento anti-inflamatório não esteróide, tendo evidenciado uma redução semelhante na inflamação de 55% com os dois tratamentos. Contudo, 5-LOXIN® era particularmente bem tolerado4.

Inibição da inflamação e cancro do cólon

Um determinado número de discussões centra-se na utilização de inibidores da COX-2, medicamentos de prescrição como o Celebrex® ou o Vioxx®, como possíveis agentes da prevenção do cancro do cólon. Esta nova abordagem advém da observação do facto de os pacientes que tomam de forma rotineira anti-inflamatórios não esteróides (AINS) terem estatisticamente menor risco de desenvolver um cancro do que os que não tomam estas substâncias. Infelizmente, os AINS são mal tolerados, podendo mesmo provocar hemorragias no sistema gastrointestinal. Alguns investigadores consideram que os inibidores naturais da COX-2, tais como a curcumina ou determinados fitoesteróis, demonstraram que seriam agentes quimiopreventivos eficazes contra a carcinogénese do cólon com uma toxicidade gastrointestinal mínima5.

Diminuir os riscos de aterosclerose reduzindo a inflamação

A inflamação contribui de forma importante para a aterosclerose e para o desenvolvimento de doenças cardíacas. A utilização de Boswellia, e mais especificamente de um extracto patenteado de Boswellia chamado 5-LOXIN®, permite inibir a enzima LOX-5 e reduzir a inflamação e poderia constituir um elemento relevante da prevenção e do tratamento da ateriosclerose. A LOX-5 parece contribuir para a aterosclerose de várias formas: o seu aumento tem como resultado a produção de um excesso de leucotrienos que incitam quimicamente os glóbulos brancos a aderir às paredes das artérias. Adicionalmente, os leucotrienos podem propiciar a permeabilidade vascular e a oxidação dos LDL. Estes efeitos combinados poderiam promover o desenvolvimento das placas de ateroma nas artérias.

Melhorar os sintomas da asma

Uma inflamação das vias respiratórias desempenha um papel importante no desenvolvimento dos sintomas da asma. Ao bloquear a produção dos leucotrienos induzida pela LOX-5, o extracto de Boswellia alivia frequentemente as dificuldades respiratórias características da asma.

Bons resultados nas doenças inflamatórias dos intestinos

A colite ulcerosa e a doença de Crohn são doenças inflamatórias dos intestinos. A primeira afecta principalmente o cólon, ao passo que a segunda pode afectar todo o sistema gastrointestinal. Estas doenças auto-imunes são caracterizadas por sintomas como dores gastrointestinais graves e cãibras, diarreias, fadiga, perda de peso e malnutrição. Um estudo realizado na Alemanha envolvendo pacientes com doenças inflamatórias dos intestinos mostra que um extracto de Boswellia produz uma melhoria significativa dos sintomas.
Num outro ensaio clínico, 20 pacientes com colite ulcerosa tomaram três vezes por dia durante seis semanas um extracto de Boswellia ao passo que dez outros pacientes tomaram um anti-inflamatório não esteróide nas mesmas condições. 90% dos sujeitos que tomaram o extracto de Boswellia evidenciaram melhorias no seu estado, contra apenas 60% dos que tomaram o anti-inflamatório não esteróide. Além disso, verificou-se uma remissão da doença em 70% dos pacientes que tomaram o extracto de Boswellia, ao passo que o mesmo apenas se verificou em 40% dos pacientes do outro grupo6.



Références :
1. Gupta S. et al., lipoxygenase-5 overexpressed in prostate adenocarcinoma, Cancer, 2001 Feb 15, 91(4): 737-43.
2. Matsuyama M. et al., Expression of lipoxygenase in human prostate cancer and growth reduction by its inhibitors, Int. J. Oncol., 2004 Apr, 24(4): 821-7.
3. Roy S. et al., Human genome screen to identify the genetic basis of the anti-inflammatory effects of Boswellia in microvascular endothelial cells, DBA cell Biol., 2005 Apr, 24(4): 244-55.
4. Roy S. et al., regulation of vascular responses to inflammation: inducible matrix metalloproteinase-3 expression in human vascular endothelial cells is sensitive to anti-inflammatory Boswellia, Anti Redox Signal, 2006 Mar, 8(3-4): 653-60.
5. Reddy B.S. et al,. Novel approaches for colon cancer prevention by cyclooxygenase-2 inhibitors, J. Environ. Pathol. Toxicol. Oncol., 2002, 21(2): 155-64.
6. Gupta I. et al., Effect of gum resine of Boswellia serrata in patients with chronic colitis, Planta Med., 2001 Jul, 67(5): 391-5.

Encomendar os nutrientes evocados neste artigo
5-Loxin® 100 mg

Um extracto patenteado de Boswellia serrata, potente inibidor da enzima 5-lipoxigenase (5-LOX).

www.supersmart.com
InflaRelief Formula

Nova fórmula mais poderosa e polivalente
Uma abordagem global para responder aos problemas associados à inflamação

www.supersmart.com
Natural Curcuma 500 mg

Extracto normalizado para conter 95% de curcuminóides

www.supersmart.com
Descubra também
10-07-2017
O magnésio – um novo anti-inflamatório?
Até hoje, o magnésio era conhecido principalmente como um mineral essencial para o equilíbrio nervoso, a função muscular, a regulação cardíaca ou ainda a saúde...
Saber mais
01-08-2018
Acabar com a inflamação crónica
Quer seja silenciosa ou dolorosa, a inflamação esteve sempre na base de doenças ditas civilizacionais diversas e invalidantes: doenças cardiovasculares, artrites, inflamações intestinais… Apesar de...
Saber mais
25-09-2017
PEA o analgésico natural universal
Mais conhecido pelas iniciais PEA, a palmitoiletanolamida é um potente princípio activo natural descoberto em 1957. Desde a sua descoberta, esta substância foi regularmente objecto...
Saber mais

Gratuito

Obrigado pela sua visita; antes de partir

INSCREVA-SE NO
Club SuperSmart
E beneficie
de vantagens exclusivas:
  • Gratuito: a publicação científica semanal "Nutranews"
  • Promoções exclusivas para membros do clube
> Continuar